11 Ago: Roteiro de gravação

Bom dia pessoal!

Bem, na última aula tiramos as dúvidas sobre o estory line e toda essa parte de construção do roteiro. Caso você ainda tenha alguma dúvida, releia os posts anteriores. Lá você encontrará um resumo das outras aulas assim como dicas de leituras e filmes.

Na aula passada começamos nosso roteiro de gravação pela escaleta. Mas o que vem a ser isso? A escaleta é a ordenação das sequências do roteiro. Geralmente, ela é feita depois do argumento pronto e antes do roteiro de gravação. Mas no nosso caso, como não temos muito tempo, fomos do story line para a escaleta, um grande salto! Ainda não está claro, não é mesmo?

No site da associação de roteiristas há uma boa definição para escaleta, os exemplos dados são de roteiro para ficção, mas a gente pega o modelo e adapta para documentário.

O ideal da escaleta é fazer um resumo propriamente dito da seqüência geral de eventos – convém notar a distinção entre esta acepção de seqüência geral com a seqüência em torno de uma idéia ou objetivo – de modo que possamos ter embutida nessa estrutura os três atos clássicos (apresentação, desenvolvimento e resolução do problema) que configuram uma história audiovisual fechada, isto é, uma história com começo, meio e fim, da qual possamos deduzir em escala contínua e progressiva, uma lista com todas as cenas que servirá para montar o roteiro. Para montar esta lista de cenas, basta que relacionemos as indicações sobre quem está envolvido, o que acontece, onde e quando.

Para clarear, vamos pegar o exemplo do que os grupos produziram nas últimas aulas. Abaixo, vamos mostrar todo o processo de feitura do roteiro até chegarmos na escaleta e no roteiro de gravação. Cada grupo fez ao seu modo, pois cada filme é um filme, e por isso, nem todos vão completar perfeitamente todas as etapas. Vamos lá!

Etapa 1: Brainstorm e escolha do tema

A ideia é coletiva e por isso cada um foi ouvido sobre quais temas gostariam de falar. Após uma conversa dos integrantes de cada grupo entre si, escolheu-se um tema de comum acordo. Os temas escolhidos foram: Acessibilidade, Funk, A via sacra da Rocinha e a história da professora Edir, personagem importante na comunidade. Bom, escolhidos os temas, fomos ao próximo passo;

Etapa 2: Pesquisa

Para a pesquisa é preciso ter um roteirinho também, é preciso buscar o maior número de informações possível. A princípio, partimos para a rua a fim de responder às seguintes questões dentro do tema escolhido por cada grupo: O que? Quem? onde? Como? e Por que? O grupo que vai falar sobre a professora Edir fez um ótimo roteiro para a pesquisa, vejam a seguir:

– O que o grupo sabia até então?

Edir Caseiro Ribeiro foi uma professora e diretora do CIEP Doutor Bento Rubião localizado na Rocinha, sendo um símbolo da educação da comunidade. Hoje em dia, a Rocinha tem creche uma com o nome de Edir em sua homenagem.

– Possíveis Personagens

Nome: Edir Caseiro Ribeiro, Idade: 50

Informações básicas: data de nascimento, Quem foi? Por que ela é importante? O que ela fazia? Como ela faleceu? Quando ela começou a trabalhar no Doutor Bento Ribeiro?

Nome: Flávia Amaral

Quem é? Qual é a relação dela com a Edir? Quando ela começou a trabalhar no Doutor Bento Ribeiro? O que ela fazia?

Nome: Possível ex-aluno de Edir

Idade: ? Quem é? Qual era a     relação dele(a) com a Edir? Quando ela     começou a estudar no Bento Ribeiro? E quando saiu? Lembranças que tinha da Edir.

Nome: Possível ex-funcionário ou funcinário atual que trabalhou com Edir

Idade? Função? Quem é? Qual era a  relação dele(a) com a Edir? Quando começou a trabalhar no Bento Ribeiro? E quando saiu? Caso tenha saído. Lembranças que tinha da Edir

Nome: Possível Familiar

Idade? Parentesco? Quem é? Qual era a  relação dele(a) com a Edir? Porque a educação era importante para ela? Lembranças que tinha de Edir

Locações

CIEP Doutor Bento Ribeiro
Quando foi fundado?

Respondido todas as questões acima, o grupo está pronto para fazer o story line.

Etapa 3: Storyline

Storyline é o fio condutor da história. Em poucas linhas podemos visualizar o início, meio e fim do filme.

Etapa 4: Escaleta

Como não tivemos tempo, demos um salta do storyline para a escaleta. Bem, como já vimos acima a definição da escaleta. Vamos dar um exemplo. Para fazê-la, você pode numerar as sequências por ordem de aparição no filme. Por exemplo:

1 – texto em off
Na Rocinha -RJ, construções desordenadas transformam as ruas em becos e escadarias. A maioria dos idosos vivem em pequenos ambientes sem sol e pouco arejados. Para sair de casa necessitam percorrer escadarias íngremes, com degraus estreitos entre lixos, apesar das artralgias, olhos turvos e tonteiras. Por isso permanecem “encarcerados” em suas moradias, em situações de insalubridades e isolamentos, sem atividade física, vulneráveis a transtornos como diabetes, hipertensão, artrites e depressão, numa escala acelerada. A intervenção nos fatores ambientais pode minimizar a solução medicamentos em idosos….

2- entrevista com a diretora do posto de saúde

3- Jenifer indo pra escola

4-entrevista com os pais da Jenifer

( perguntar sobre o plano inclinado )

5- explicação sobre o plano inclinado ( pergurtar sobre o Plano inclinado- Maria Helena )

6- clip com as pessoas transitando em becos e escadarias

7- cartela com dados sobre o número de moradores com deficiencia fisica

Etapa 5: Roteiro de gravação

No roteiro de gravação vamos ter a ordem do filme com início, meio e fim, todas as perguntas que serão feitas nas entrevistas e imagens que vamos gravar. Na hora da edição do documentário teremos de fazer um roteiro de montagem, pois algumas alterações serão feitas durante a gravação. Você pode dividir este roteiro em “Vídeo” e “Audio” para facilitar a visualização.

Exemplo:

Vídeo Audio
Descrever imagens de cobertura. OF: Na Rocinha, construções desordenadas transformam as ruas em becos e escadarias. A maioria dos idosos vivem em pequenos ambientes sem sol e pouco arejados. Para sair de casa necessitam percorrer escadarias íngremes, com degraus estreitos entre lixos, apesar das artralgias, olhos turvos e tonteiras. Por isso permanecem “encarcerados” em suas moradias, em situações de insalubridades e isolamentos, sem atividade física, vulneráveis a transtornos como diabetes, hipertensão, artrites e depressão, numa escala acelerada. A intervenção nos fatores ambientais pode minimizar a solução medicamentos em idosos….
Entrevista com a diretora do posto de saúde. Qual é o nome dela? Onde vai ser a entrevista? Descrever as perguntas que serão feitas para a diretora.
Acompanhamos Jenifer indo para escola. som ambiente
Entrevista com os pais da Jenifer. Descrever as perguntas que serão feitas para os pais.
Entrevista com engenheira ou Arquiteta (?) Maria Helena sobre o plano inclinado. Descrever as perguntas que serão feitas para a entrevistada
Clip: imagens de pessoas transitando em becos e escadarias. som ambiente
cartela: dados sobre o numero de moradores com deficiência fisica na Rocinha.

Agora é só gravar! 😉

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s